segunda-feira, 31 de março de 2014

ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL








O envelhecimento é um processo natural, em que doenças e limitações não são consequências inevitáveis desse processo.
 
 Envelhecer é um processo natural, gradativo e contínuo, que começa no nascimento e se prolonga por todas as fases da vida. Afeta todos os seres vivos sendo difícil datar o seu começo, porque de acordo com o nível no qual ele se situa (biológico, psicológico ou sociológico), a sua velocidade e gravidade variam de indivíduo para indivíduo.
 Cada vez mais, é importante mentalizar a população para a diferença entre envelhecimento patológico, definido como o conjunto de doenças e limitações associados à pessoa idosa, de envelhecimento saudável, que refere-se às modificações biológicas, psicológicas e sociais da pessoa ao longo do tempo sem ser acompanhado de incapacidades ou doenças debilitantes.
 Todos nós temos a perceção de que à medida que envelhecemos, o nosso corpo sofre alterações notáveis. Em geral, a maioria das funções internas atingem o seu pico pouco antes dos 30 anos e a partir daí iniciam um processo gradual mas contínuo de declínio. Ainda assim, a maioria delas permanece num nível adequado por toda a vida, já que a maioria dos órgãos tem uma capacidade funcional bem superior às necessidades do corpo.
 Contudo, os indivíduos envelhecem de formas muito diversas e, a este respeito, podemos falar de idade biológica, de idade social e de idade psicológica, que podem ser muito diferentes da idade cronológica, já que o processo de envelhecimento depende de três classes de fatores principais: biológicos, psicológicos e sociais.
 O envelhecimento fisiológico/biológico compreende uma série de alterações nas funções orgânicas e mentais devido exclusivamente aos efeitos da idade avançada sobre o organismo, fazendo com que o mesmo perca a capacidade de manter o equilíbrio homeostático e que todas as funções fisiológicas gradualmente comecem a declinar. Ou seja, um organismo envelhecido, em condições normais, poderá sobreviver adequadamente, porém, quando submetido a situações de stress físico, emocional, entre outros, pode apresentar dificuldades em manter a sua homeostase e, desta forma, manifestar sobrecarga funcional, a qual pode culminar em processos patológicos, uma vez que há o comprometimento dos sistemas endócrino, nervoso e imunológico.
 As modificações psicológicas relacionam-se com o comportamento da pessoa idosa em relação a cada situação nova do seu quotidiano. Já as modificações sociais são verificadas quando as relações sociais tornam-se alteradas em função da perda da capacidade motora e da diminuição da produtividade e, principalmente, do poder físico e económico, com alteração do seu papel social.
 O processo de envelhecimento pode ser acelerado, reduzido ou parado por algum tempo. Ainda não há meios de reverter este processo, mas são conhecidos alguns fatores que provocam o seu aceleramento, destacando-se: as situações de stress repetidas e intensas, quer de natureza somatogénica (cirurgias, doenças, traumatismos) ou psicogénica (tensão, sofrimento, angústia, depressão) por causarem diminuição do sistema imunológico; os efeitos das radiações, especialmente as ionizantes, com maior formação de radicais livres; a dieta com consumo exagerado de alimentos calóricos; o tabagismo; o alcoolismo e consumo de drogas; estilo de vida sedentário; …
O envelhecimento é um processo natural e não uma doença. Enquanto que a doença precisa de um desencadeante etiológico (causa), o envelhecimento precisa de um desencadeante temporal. Estudos epidemiológicos têm demonstrado que doenças e limitações não são consequências inevitáveis do envelhecimento, elas dependerão da redução de fatores de risco e da adoção de estilos de vida saudáveis.
 O envelhecimento do ponto de vista fisiológico depende significativamente do estilo de vida que a pessoa assume desde a infância ou adolescência. Por este motivo, a adoção de um estilo de vida mais saudável pode prevenir e até reverter alguns tipos de declínio, independentemente da idade.
 Assim, o envelhecimento saudável dependerá do equilíbrio entre o declínio natural das diversas capacidades individuais, mentais e físicas; da prevenção de doenças, atrasando o seu aparecimento ou diminuindo a sua gravidade; da manutenção da autonomia durante a velhice mantendo-se sempre ATIVO física, mental e socialmente.

 Cada vez mais se deve pensar no envelhecimento com uma atitude preventiva e promotora. Assim, lembre-se:
 Como vive o presente influenciará o seu futuro!

A equipa Physioclem.